IMG_1767.PNG

BEBIDA ALCOÓLICA

X

MASSA MUSCULAR

Uma das maiores polêmicas no “mundo fitness” é o consumo de bebidas alcoólicas, afinal, será que aquela cervejinha do Happy Hour ou aquela “merecida” taça de vinho após um dia exaustivo, prejudicam o seu ganho de massa muscular?

 

Para iniciar o assunto, vamos falar sobre uma das diferenças entre essas 2 bebidas: 

  • Uma lata (350ml) de cerveja contém aproximadamente 175 calorias.

  • Uma taça (200ml) de vinho contém 170 calorias

É importante levar em consideração que a cerveja é consumida em maior quantidade do que o vinho. 

Além disso, na fermentação da uva, encontramos diversas substâncias benéficas a saúde, mas, é importante alertar que isso acontece quando se tem hábitos saudáveis e quando esse consumo acontece de forma EQUILIBRADA. 

Mas, quando se pratica atividades físicas e temos uma alimentação com o objetivo de hipertrofia (aumento da massa magra corporal), será que o conceito é o mesmo?

 

Uma das maiores polêmicas sobre esse assunto é saber se esse consumo afeta na performance, rendimento no treino, metabolismo e ações bioquímicas.

A verdade é que os efeitos do álcool variam de acordo com:

●      Dose ingerida

●      Freqüência de consumo

●      Tempo entre ingestão e atividade física

●      Metabolismo do indivíduo e

●      Composição corporal.

Sabemos que o álcool afeta diretamente do sistema nervoso central, desencadeando alterações nas habilidades psicomotoras.
 

O organismo demora cerca de 1 hora para eliminar os efeitos de álcool ingeridas em 1 lata de cerveja. Caso a dose seja maior, aumenta-se o tempo necessário para metabolização.

A ingestão frequente de bebida alcoólica pode influenciar negativamente no ganho de massa magra e, consequentemente, no rendimento durante os treinos. O consumo de álcool interfere negativamente no ganho de massa muscular pois além das calorias em excesso, ele faz com que o corpo não se recupere, impedindo que os músculos se regenerem e se desenvolvam, comprometendo ainda o rendimento durante os treinos, e contribuindo para o acúmulo de gordura corporal.

 

A ingestão do álcool pode levar ainda a desidratação, comprometendo o funcionamento dos rins, que necessitam de grande volume de água para eliminar o produto do corpo.

 

Se você ainda não se convenceu que bebida alcoólica e ganho de massa muscular não combinam, listamos as principais ações do álcool que reduzem seus ganhos de massa muscular:

1.    Alterações hormonais

      O consumo frequente de álcool, diminui a produção de testosterona, que é o hormônio de fortalecimento muscular mais importante em seu corpo. Um dos fatores limitantes que determina a quantidade de massa muscular que uma pessoa pode ganhar é o seu nível de testosterona de fluxo livre. 

     Pode haver também um aumento considerável na produção de cortisol, um hormônio catabólico, devido aos efeitos estressantes do etanol, além de um efeito negativo na produção de hormônio do crescimento. A literatura sobre isso ainda é inconclusiva, mas sabe-se que todas essas alterações hormonais resultam em um metabolismo que vai contra a conquista da hipertrofia muscular.

 

2.    Diminuição da Síntese Protéica

      A síntese de proteínas é o processo onde os aminoácidos são agrupados para formar proteínas completas. O consumo excessivo de álcool retarda este processo em até 20%. Os músculos são compostos também por proteínas, assim, vemos a gravidade desse problema.

 

3. Desidratação

Muitas pessoas apresentam sensação de inchaço após a ingestão de bebidas alcoólicas, isso acontece pois o rim precisa filtrar grandes quantidades de água para “quebrar” as moléculas de álcool, isso pode resultar em uma desidratação severa do corpo. Já sabemos sobre as principais funções da água no nosso organismo, além disso, a situação fica pior quando sabemos que 70% dos músculos são formados por água.

 

4. Hipovitaminose

Causada pela desidratação, fazendo com que as vitaminas hidrossolúveis sejam absorvidas de maneira irregular. Muitas dessas vitaminas auxiliam no processo de construção e manutenção muscular, não parece uma boa ideia apresentar déficit de qualquer uma dessas vitaminas, certo?

 

5. Aumento da reserva de gordura corporal

O álcool atrapalha o Ciclo de Krebs, uma etapa de grande importância na quebra das moléculas de gordura, além disso, como vimos acima, as bebidas alcoólicas contém doses consideráveis de calorias, aumentando assim seu consumo calórico diário.

 

6.Fatores clínicos

A frequência cardíaca e pressão arterial também são totalmente influenciados pelo consumo de álcool, mesmo em pequenas quantidades.

 

7. Glicose
Quando ingerimos álcool, o fígado fica “ocupado” com os processos de degradação de suas moléculas que diminui severamente a produção de glicose, levando o indivíduo a um estado hipoglicêmico.

 

Agora, cabe a você decidir se vale a pena abrir essa “exceção” para “curtir”.

 

É importante se divertir na vida, mas sua diversão não precisa estar diretamente ligada ao álcool. Se você quer resultados significativos no ganho de massa muscular, você definitivamente precisa monitorar o consumo de álcool.